O YouTube pode matar as pessoas que não gostam de vídeos – YT


O YouTube pode matar as pessoas que não gostam de vídeos

Em sua batalha contra as campanhas de cyberbullying, O YouTube pode matar as pessoas que não gostam de vídeos. Não é a primeira rede social a tomar uma medida nesse sentido, já que praticamente todas estão começando a analisar como erradicar comportamentos negativos de suas plataformas, algumas com maior sucesso que outras.

Embora não sejam visíveis para o público em geral, os criadores continuarão a ver o equilíbrio entre ‘gosto’ e ‘não gosto’ no painel de controle do YouTube Studio. Da mesma forma, os espectadores também continuarão tendo a capacidade de julgar positiva ou negativamente os vídeos que assistem, de modo que a mudança na plataforma será mínima.

A previsão é que em algumas semanas o YouTube comece a selecionar vários de seus usuários para testar esta nova medida e eles poderão informar a plataforma de como está funcionando. “Em resposta ao feedback dos criadores sobre campanhas de bem-estar e antipatia direcionada, estamos testando novos designs que não mostrarão ao público o número de desgostos. Se você fizer parte deste pequeno experimento, poderá encontrar esse design nas próximas semanas.”, Pode ser lido no tweet da maior plataforma de vídeo do mundo.

Responder a campanhas direcionadas de desagrado

O YouTube tornou público, por meio de sua conta no Twitter, que o desaparecimento do número de não gosta (sim, os gostos continuarão aparecendo, como você pode ver no tweet abaixo) responda a um intenção clara de garantir o bem-estar de seus criadores.

O número de campanhas de assédio contra determinados criadores tem vindo a aumentar nos últimos anos, visto que se revelaram uma forma eficaz de os atacar e desacreditar. No entanto, o YouTube continuará a fornecer todas as estatísticas reais a seus usuários para que eles tenham uma imagem clara de como está o desempenho de seus canais.

Esses testes com criadores de conteúdo serão úteis para saber se o Google, dono do YouTube, finalmente leva a decisão de erradicar os ‘desgostos’. “Estamos atentos aos comentários desses experimentos para determinar quais decisões queremos tomar no futuro”, você pode ler em seu depoimento. É importante lembrar que, no final de 2019, o YouTube já enfatizava sua política contra o assédio.

Outras redes sociais como o Facebook há muito valorizavam a inclusão de um botão de antipatia, mas seus riscos eram óbvios, como foi mostrado no YouTube, então, em vez disso, incluiu vários emojis com reações diferentes, sendo um deles o de raiva, o que não pode ser considerado estritamente um ‘não gosto’ do criador, mas sim o assunto da sua publicação. Twitter e Instagram não incluem botões específicos para deixar o usuário saber seu descontentamento com o que publica, embora possa sempre estar refletido nos comentários.

O que está sendo valorizar intensamente no Instagram é o desaparecimento do número de ‘curtidas’ que cada publicação tem. O debate sobre como uma competição por ‘curtidas’ pode aumentar a vaidade dos usuários e afetar a autoestima dos mais jovens também só cresceu nos últimos tempos. Gostos e desgostos sem dúvida se tornaram um dos tópicos mais quentes de discussão na Internet hoje.

Mais notícias no YouTube

5 canais do YouTube para aprender a história enquanto se diverte

Os 10 canais do YouTube com mais seguidores

YouTube Music: dicas e truques em 2021 para aproveitar ao máximo

Truques para o YouTube em 2021: 8 funções secretas que você não conhecia








Publicado en TuExperto el
2021-03-31 08:30:00

Visite el articulo en origen aqui

(Visited 4 times, 1 visits today)

Te podría interesar